Nosso BLOG... Estratégias e Ferramentas para seu Desenvolvimento Pessoal e Profissional

Nosso BLOG... Estratégias e Ferramentas para seu Desenvolvimento Pessoal e Profissional

Ajudamos você a obter resultados reais para aumentar sua qualidade de vida. Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

Nosso BLOG... Estratégias e Ferramentas para seu Desenvolvimento Pessoal e Profissional

Ajudamos você a obter resultados reais para aumentar sua qualidade de vida. Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

Fique tranquilo, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

Autoestima elevada com o método da agilidade emocional

Autoestima elevada: Qual o segredo?

Um dos maiores desafios da atualidade: Elevar a autoestima.
Bom, Já pensou como seria se você pudesse se tornar mais consciente de como seus pensamentos e emoções atuam diante das influências externas e como você pode treinar sua mente – seu mindset – para, assim, fazer as pazes com suas emoções e então prosperar, aumentando a sua agilidade emocional e consequentemente sua autoestima?

Pois bem, a AUTOESTIMA refere-se ao modo como a pessoa julga seu próprio valor.

Já a AGILIDADE EMOCIONAL, é algo que amplia muito o potencial de quem a domina, segundo a psicóloga e professora na Universidade Harvard, Susan A. David, é a habilidade de reconhecer e aplicar as experiências pessoais (boas e ruins) de maneira mais consciente e produtiva. Focando na maleabilidade e fluidez do mindset.  

Além disso, Susan fala que agilidade emocional não diz respeito a banir pensamentos negativos ou obrigar-se a pensar mais positivo.

Pois, pesquisas tem demonstrado que tentar fazer com que as pessoas mudem seus pensamentos negativos (“eu vou mal na apresentação”) para positivos (“tenho certeza que vou detonar!”) geralmente não funciona. Na verdade, pode acontecer de em muitos casos, funcionar ao contrário, ou seja, tornando-se fonte de frustração, pois, por mais que pensemos positivos a realidade nem sempre corresponde a nossa intenção, né?

Então, se você quer realmente ter uma autoestima elevada, faça-se duas perguntas:

  1. Há quanto tempo você vem tentando valorizar-se mais?
  2. Está funcionando?

Se sua resposta for “um pouco” ou “não”, esse artigo vai te ajudar e muito. Pois, esses conceitos são muito poderosos e vão dar um ‘UP’  na sua jornada para expandir muito sua autoestima. Para ter uma autoestima elevada você deve desenvolver sua autodisciplina para praticar essas 6 ETAPAS FUNDAMENTAIS:

1) COMPREENDER O CÁRCERE DA BAIXA AUTOESTIMA

Quem sofre de baixa autoestima tende a interpretar fatos e sinais de uma maneira ruim e tem uma visão extremamente negativa de si mesmo o tempo todo. É como se estivessem ‘capturados’, portanto, ficam presos por emoções, pensamento e comportamentos autodestrutivos. Se pergunte: “Quem está no controle – o pensador ou o pensamento?”

Quando permitimos esses pensamentos dominarem o momento, nos colocamos em um ‘cárcere emocional’. Ficamos presos e reféns dos pensamentos de baixa autoestima.

POTENCIALIZADORES DE BAIXA AUTOESTIMA:
✔️ Tentar deixar de ter baixa autoestima:

Quando você tenta “deixar de ter baixa autoestima” aniquilando seus sentimentos, a verdadeira vítima é o seu bem-estar. Pesquisas mostram que tentar banir pensamentos e sentimentos negativos, serve apenas para ampliá-los. Como se, quanto mais você pensa em “deixar de ter baixa autoestima” mais pode  aumentar sua baixa autoestima. Ou seja, pior será para o desenvolvimento de uma autoestima elevada.

✔️ Pensar positivo:

Outra estratégia comum é a crença de que, de uma forma ou de outra, tudo ficará bem se você puder simplesmente “sorrir”.

Entretanto, quando está tudo uma ‘maravilha’ em nossas vidas, tendemos a não pensar atentamente em mais nada que seja desafiante – o que ajuda a explicar o porquê as pessoas altamente positivas podem ser menos criativas. A verdadeira felicidade ocorre nas atividades com as quais você se envolve, aquelas que você gosta delas, não pelo desejo de ser feliz. Sendo assim, sua autoestima não está no futuro quando você chegar ao ponto A ou B, mas sim no momento.

PS: As próximas etapas mostram os truques que vão “afastá-lo do cárcere” e conduzi-lo a um novo nível de autoestima.

2) OLHE DE FRENTE para seus pensamentos e sentimentos.

Aprender a enxergar e aceitar integralmente o seu ‘Eu’, também com todas as suas imperfeições, ajuda a lembrar de algo que todos os nossos heróis e heroínas favoritos tem em comum: ‘Eles estão longe de serem prefeitos.’

Encarar suas mazelas e fragilidades de frente, não é um exercício heroico de vontade. É simplesmente olhar nos olhos de nossos atormentadores e dizer:

“Beleza! Você está aqui e eu estou aqui. Bora conversar. É o seguinte, como sou grande o suficiente para conter meus sentimentos e experiências passadas, sou capaz de aceitar todas essas facetas da minha existência sem ficar arrasado ou aterrorizado” 

Em meus cursos de agilidade emocional, como a Tríade da Autodisciplina ou em minhas Mentorias de Autoliderança e Performance, sempre trabalho fortemente o conceito de autoimagem e autoaceitação. Direciono foco nas possibilidades evolutivas, o que tem potencializado em níveis incríveis a autoestima dos participantes conectando-os com uma vida máxima.

✔️ E lembre-se: ao olhar de frente, pratique a autocompaixão 

A autocompaixão é olhar para si mesmo sem negar a realidade, reconhecendo seus desafios e fracassos como parte da humanidade, esse é um dos truques da autoestima elevada. “Um dos grandes paradoxos da experiência humana é que não podemos mudar a nós mesmos ou as nossas circunstâncias enquanto não aceitarmos aquilo que existe neste exato momento.”

A verdade é que você só vai fazer as pazes com o universo quando parar de tentar controlá-lo. O mesmo vale para o seu mundo interior, ao olhar para suas mazelas, lembre-se de olhar com autocompaixão para elas. Uma excelente maneira de você se tornar mais tolerante e compassivo consigo mesmo é olhar para a criança que você foi um dia.

Experimente esse poderoso exercício:

Pense em si mesmo como uma criança magoada que um dia você foi, correndo na sua direção, para o adulto que você é agora. Você iria zombar da criança? Exigir uma explicação? Dizer que foi tudo culpa dela e falar “Bem que eu te disse”?

Provavelmente não, né? Você primeiro pegaria nos braços essa criança transtornada e a confortaria.

Então por que você trataria seu eu adulto com menos compaixão? Você deixou de merecer compaixão?

Pessoas com autocompaixão miram tão alto como aquelas com autocrítica. A diferença é que as pessoas com autocompaixão não se desestruturam quando não batem suas metas.

✔️ Equilibre a energia do seu Crítico Interior

Já se perguntou o quanto a severidade do seu ‘critico interior’ contribui para sua felicidade?

Certa vez, vi uma camiseta com a frase: Me perdoe, Deus ainda não me terminou”. Achei fantástica! E é com essa visão, com uma perspectiva compassiva que você pode se olhar, ou seja: ‘Você é um trabalho em andamento.’

Quando estamos ansiosos, telefonamos, mandamos mensagens, queremos conversar com alguém de quem gostamos. Porque o calor humano e a gentileza nos fazem sentir seguros, valorizados e achar que somos capazes de lidar com a situação.

Porque não podemos ser esse tipo de amigo carinhoso para nós mesmos, voltando esse tipo de compaixão para dentro?

✔️ Escolha a disposição

Queremos que a vida seja mais deslumbrante ou indolor possível, né? Mas a dor está incorporada ao acordo da vida com o mundo. Somos jovens, até deixar de sê-lo. Estamos com nossos entes queridos, até não estar mais. A vida é intensa em sua beleza, mas também em sua fragilidade. Aceitar isso é a chave para sentir-se melhor.

Mas é ai que entra sua agilidade emocional, pois você pode escolher abrir espaço em seu coração tanto para a alegria quanto para a dor. E então, se sentir à vontade com a ideia de não se sentir à vontade. Isso significa encarar os sentimentos não como sendo “bons” ou “maus”, mas apenas como “existindo”.

3) AFASTE-SE dos SENTIMENTOS DE BAIXA AUTOESTIMA

Depois de “olhar de frente”, agora é hora de praticar outro aspecto fundamental da agilidade emocional,  o afastamento. E uma excelente técnica para gerar esse afastamento é escrever seus sentimentos, isso mesmo, escrever. Tão simples, né? Pessoas que escrevem sobre seus sentimentos são capazes de criar a distância entre o pensamento e o pensador, entre o sentimento e aquele que sente. O que lhes possibilita adquirir uma nova perspectiva, libertando-os do cárcere para que sigam em frente.

Lembre-se: Você não é o seu sentimento. 

Para esse exercício, James Pennebaker, professor da Universidade do Texas, que passou por um processo profundo de baixa autoestima e depressão desenvolveu um processo de escrita, simples, mas muito poderoso, que o ajudou a se libertar desse estado. (Obs: Caso você queira fazer o exercício é só baixar a ferramenta: Clique no link >> Baixar Exercício de Pennebaker )

Ao se separar de sua experiência e observá-la de uma perspectiva diferente, você cria um novo espaço e é a partir desse ponto que você pode escolher comportamentos baseados nos seus valores em vez de ceder ao que seus pensamentos, emoções insistem que você faça.

Você criou um espaço entre o pensador e o pensamento. Você começa a vivenciar os pensamentos apenas como pensamentos – que é tudo o que eles são.

4) SEJA COERENTE COM SEUS MOTIVOS

Ser coerente com seus motivos é a arte de viver de acordo com o seu conjunto de valores pessoais – as crenças e os comportamentos que você preza e que lhe conferem significado e satisfação.

Identificar os valores que são verdadeiramente seus e agir movidos por eles – e não por aqueles que os outros impõem a você; não pelo que você acha que deveria se interessar, mas pelo que você de fato se interessa – é o próximo passo crucial para promover a agilidade emocional. E consequentemente, desenvolver uma autoestima elevada.

Por exemplo: Viver bem, é um valor para você? Se a resposta for sim, pergunte-se: O quanto meus pensamentos, palavras e ações são COERENTES com esse meu valor?”. Seja coerente com aquilo que VOCÊ diz que é IMPORTANTE para você.

5) SIGA EM FRENTE 

Quando nossa abordagem dos problemas é grandiosa demais (“preciso de uma nova carreira”), encorajamos a frustração. Mas quando temos por meta pequenos ajustes (“vou conversar uma vez por semana com alguém de fora da minha área”) o custo do fracasso é surpreendentemente menor. Quando sabemos que temos pouco a perder, nossos níveis de estresse diminuem e nossa confiança aumenta.

Ao procurar os lugares certos para fazer pequenas mudanças, você identifica três áreas gerais de oportunidade – ajustar suas convicções (seu mindset), ajustar suas motivações e ajustar seus hábitos.

✔️  Escolha o desafio

Quando dizemos “não quero falhar”, “não quero me envergonhar”, “não quero me magoar”, estamos, sobretudo, expressando metas de pessoas mortas. Salvo que, as únicas pessoas que nunca sentem desconforto por terem se comportado como idiotas estão mortas. O mesmo se aplica a pessoas que não mudam ou às vezes não amadurecem. Para permanecermos realmente vivos, precisamos escolher a coragem em detrimento do conforto para continuar a crescer, subir e nos desafiar. Isso é muito importante para uma autoestima elevada.

✔️ O segredo é permanecer envolvido

O consenso entre os psicólogos e especialistas em aprendizado é principalmente que, o domínio (de uma habilidade ou competência) não é tanto uma questão do tempo investido, é mais da qualidade do investimento.

Ou seja, requer “aprendizado árduo”, uma forma de prática atenta que envolve lidar continuamente com desafios que estão um pouco além do nosso alcance.

A agilidade emocional consiste em dar prosseguimento à vida. Como também avançar em direção a metas claras, desafiantes porém alcançáveis, que você persegue não porque acha que seria certo persegui-las ou porque alguém lhe disse para fazer isso. Mas, porque é o que você quer. Porque elas são importantes para você.

Como você pôde perceber, então, a questão da autoestima elevada muito tem a ver com se valorizar e valorizar o que você quer, o que é importante para VOCÊ.

6) PROSPERE

Agilidade emocional está relacionada tanto ao crescimento constante, quanto ao aprendizado sobre quem você é. Trata-se de desenvolver uma intensa ambição por querer mais, mas, com a sabedoria em amarmos quem somos.

Assim, ela é ausência de fingimento e atuação. Portanto,  dá às nossas ações um poder maior porque elas emanam dos nossos valores mais básicos e fazem da nossa força essencial, uma coisa sólida, genuína, real e próspera.

Agora, você já tem excelentes práticas para desenvolver uma autoestima elevada, mas não pare por aqui. Imagine o tanto de poder, força, e talentos que você têm ai dentro de você e não está usando da maneira correta.

Agora imagine aonde você pode chegar usando o poder da Autodisciplina para isso?

Gostou do artigo? Comenta ai…
Compartilhe com um amigo que gostará do assunto.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre o Adriano

Olá, eu sou Adriano Couto, e se você é uma pessoa, que como eu, acredita na importância do seu desenvolvimento pessoal e profissional, conquistando um alto nível de qualidade de vida. Seja bem-vindo ao meu blog.

Inscreva-se em nosso blog

Avance em seu Crescimento Pessoal e Profissional

Fechar

Fique tranquilo, seu e-mail está completamente SEGURO conosco!

Artigos Relacionadas

Couto Performance © 2021

WhatsApp
Enviar